Delegado Alessandro Vieira apresenta propostas no sertão sergipano

Dr. Emerson, Alessandro Vieira, Nuzia Campos, Sgt. Elisangela e Hebert Pereira

O delegado Alessandro Vieira, pré-candidato ao Senado pela REDE, participou da procissão de Nossa Senhora Sant’Ana em Aquidabã na tarde desta quinta-feira, dia 26/07, junto com o pré-candidato ao governo Dr. Emerson e demais pré-candidatos da REDE.

Na ocasião, o delegado conversou com lideranças locais sobre seus planos para Sergipe e sobre a necessidade dos cidadãos participarem ativamente do processo eleitoral.

Em reunião com lideranças em Nossa Senhora da Glória

Já a noite, o pré-candidato ao senado se reuniu com lideranças de Nossa Senhora da Glória para discutir saídas para os problemas de Sergipe e do Brasil e segundo ele, “a necessidade de uma renovação política urgente e inadiável para devolver a dignidade novamente aos sergipanos”. Também apresentou propostas na área de segurança pública no tocante a zonal rural e a urgência em investimentos o homem do campo. Entre as lideranças encontrava-se Messias Reis, ex-secretário municipal do Meio Ambiente de Nossa Senhora da Glória e os pré-candidatos Hebert Pereira, Claudemir Constantino e Valdenicio do Sertão.

Por fim, concedeu entrevista ao programa Sua Expressão, onde discorreu sobre sua pré-candidatura ao senado, criticou sobre a partidarização da gestão da saúde como também a falta de competência e vontade política do governo atual no tocante a segurança pública do estado de Sergipe.

Delegado Alessandro Vieira apresenta propostas para a Segurança Pública e para a Saúde no sertão sergipano

Delegado Alessandro Vieira em entrevista ao apresentador Maycon Fernandes

Na noite do dia 26.07, o delegado Alessandro Vieira, pré-candidato ao Senado pela REDE e integrante do RenovaBR, concedeu entrevista ao programa Sua Expressão apresentado por Maycon Fernandes no município de Nossa Senhora da Glória apresentando suas propostas para segurança pública, educação e saúde como também se posicionou sobre o cenário político.

Logo no início da entrevista, o delegado Alessandro Vieira relatou a necessidade de uma renovação política dado que “os nomes postos não estão a altura do desafio que Sergipe precisa para voltar aos trilhos e por isso coloco meu nome a disposição dos sergipanos como pré-candidato ao Senado”.

O delegado Alessandro Vieira ressaltou a importância dos movimentos de renovação que surgiram no Brasil como o RenovaBR, o movimento Acredito, o Brasil200 e outros para impulsionar o surgimento de novas lideranças.

Questionado sobre sua exoneração do cargo de delegado geral da Polícia Civil, o pré-candidato afirmou que o trabalho desenvolvido incomodou muito pessoas que estavam no poder, inclusive o ex-governador Jackson Barreto, mas que poderia responder pela sua exoneração era o próprio ex-governador. Segundo Alessandro Vieira, “o trabalho feito a frente da Policia Civil mostrou aos sergipanos que dá para fazer diferente e é possível enfrentar o sistema e isso incomodou demais os políticos que acreditavam que a lei não os alcançava”.

Sobre a proposta sobre porte de arma, o delegado Alessandro Vieira alfinetou pré-candidatos que prometeram criar a lei, pois segundo ele a lei já existe que permitir o brasileiro a possuir porte de arma, contudo, para Vieira, é preciso facilitar o procedimento burocrático, baratear o seu custo e dar agilidade a esse processo  para que o cidadão tenha o direito a portar uma arma.

Para o pré-candidato da REDE o que falta para Sergipe ter segurança pública é vontade politica e competência dos gestores. Alessandro Vieira exemplificou sua constatação dizendo que hoje temos menos policial nas ruas do que na década de 90 e afirmou que enquanto o quantitativo policial diminuiu o número de criminosos aumentou e mesmo com todo o esforço das polícias, o governo não dá o respaldo necessário para que as polícias faça seu trabalho.

Questionado ainda na área da segurança pública sobre a diminuição da maioridade penal, o delegado defendeu que a diminuição da maioridade penal não resolve o problema e para ele cria um problema maior, pois fornece mais soldados para facções criminosos de dominam os presídios. Segundo o delegado Alessandro Vieira, a proposta mais viável é o aumento da pena para menores infratores que cometeram crimes graves e a separação desses mesmos menores infratores dos demais e a realização de um trabalho efetivo de ressocialização.

“Defendo que o condenado em 1ª instância cumpra sua pena imediatamente, pois depois que a justiça se manifesta não persisti a presunção de inocência”, afirma o delegado Alessandro Vieira. Ainda ressalta que é necessário mudança nas legislações para que os processos judiciais sejam mais rápidos e as condenações sejam mais duras e desta forma, para ele, a sensação de impunidade diminuirá e desestimular as pessoas a cometer crimes.

Já na área da saúde, o delegado Alessandro Vieira defendeu uma revisão do pacto federativo para que os recursos sejam assegurados para a saúde de atenção básica e uma definição se a União assume a administração da atenção básica ou os municípios continuam no controle, contudo com um maior orçamento. Outro ponto apresentado pelo delegado é que não haja a partidarização na gestão da saúde porque segundo ele “a gestão partidarizada é feita objetivando ganhar voto  e não atender o cidadão gerando um ciclo de ineficiência, onde quem paga é o cidadão”. E Vieira exemplificou sua fala relatando o caso do Centro Administrativo da Saúde que ficou conhecido como o Taj Mahal que segundo o pré-candidato vai gerar um prejuízo de milhões de reais que poderiam ser investidos na compra de medicamentos e equipamentos.

 

 

 

 

 

“Aceitei o desafio de enfrentar o sistema e não estou só”, escreve o delegado Alessandro Vieira

 

Delegado Alessandro Vieira

Meu artigo foi publicado na íntegra pelo jornalista Claudio Nunes em sua coluna na Infonet, confira no link abaixo:

“Eu acredito nesta renovação e cada vez mais gente acredita comigo. Vamos juntos fazer a faxina que o Brasil e Sergipe tanto precisam.” Delegado Alessandro Vieira

No Brasil, e em Sergipe mais ainda, vivemos um imenso distanciamento entre nós, cidadãos comuns, e a elite política que nos governa há décadas. Não sabemos com clareza o que eles fazem com a montanha de dinheiro que arrancam dos nossos bolsos através da cobrança de impostos e também não sabemos as razões para tanta ineficiência e corrupção. Os nossos problemas ficam cada vez mais graves e as pessoas que concentram o poder capaz de resolver não fazem nada ou fazem muito pouco.

Ficamos vendo inertes as mesmas pessoas, por décadas a fio, fazendo exatamente as mesmas coisas e acumulando riqueza e poder. Assistimos a política que deve servir o cidadão ser transformada em negócio lucrativo a serviço de famílias tradicionais ou grupos econômicos, enraizados desde o período militar.

Até alguns meses atrás, eu também fazia parte da grande massa que sofre e fica indignada, mas não sabe como colaborar para uma mudança real e de grande impacto. Através do meu trabalho como policial e do meu exemplo, me esforçava para fazer ao máximo as coisas corretas, mas a velha política sempre se colocava como obstáculo intransponível para as novas idéias e a inovação.

Fiz da indignação coragem e rompi a barreira da inércia.

Como primeiro passo, fui buscar capacitação para efetivamente impulsionar a mudança. Encontrei o RenovaBR, programa que me acolheu após um rigoroso processo seletivo nacional. Tive acesso a grandes especialistas do Brasil e do exterior, falando sobre alguns dos temas mais importantes das nossas vidas, e encontrei mais de uma centena de pessoas muito especiais, vindas de todos os cantos do país com histórias de vida inspiradoras e muita coragem para enfrentar o sistema.

De logo ficou claro que, em uma democracia, a transformação desejada deve ocorrer sempre no campo da política e, portanto, é preciso participar do processo eleitoral e se mostrar como alternativa real ao sistema envelhecido que trava o Brasil e empurra Sergipe cada vez mais no fundo do poço.

Tomei coragem e fiz isto. Procurei um partido que me garantisse o requisito mais básico na minha concepção: a certeza de que nunca caminharia ao lado dos tantos corruptos e oportunistas que infestam a política tradicional. Encontrei a Rede, um partido jovem e comprometido com a construção de uma política muito diferente da tradicional, e na Rede parceria forte para essa missão urgente, a renovação da política sergipana.
Também encontrei o Movimento Acredito, outra iniciativa nacional que me abraçou como membro e reforçou ainda mais a energia e o leque de competências indispensáveis para fazer a diferença.

Com essa base, fiz o lançamento da pré-candidatura ao Senado, representando uma iniciativa de verdadeira renovação política, baseada na transparência, no combate irrestrito à corrupção e na devolução do poder e dos recursos aos seus verdadeiros donos, os cidadãos comuns.

O desafio é imenso. A reação natural dos velhos políticos é de menosprezo.

Como uma pessoa comum, sem dinheiro ou padrinhos, vai conseguir enfrentar adversários que vão contar com uma máquina fisiológica recheada de CC’s, que vão utilizar milhões de reais tirados dos cofres públicos através de leis absurdas com a que criou o bilionário fundo eleitoral e também, eventualmente, outros tantos milhões de reais oriundos da corrupção e do caixa 2?

Como enfrentar a diferença brutal no tempo de propaganda eleitoral destinado para candidatos tradicionais e candidatos da renovação?

A resposta é simples, embora não seja fácil.

A primeira coisa é entender que não é possível fazer nada sozinho, a luta precisa ser coletiva. Unir as pessoas que querem mudar de verdade é o primeiro passo, para juntos enfrentarmos esse sistema monstruoso fazendo tudo diferente.

Se eles arrancam do bolso do cidadão dinheiro para fundos partidário e eleitoral, nós não vamos usar este recurso. Não vamos usar nenhum centavo de dinheiro público na nossa caminhada.

Se o objetivo deles é permanecer agarrados eternamente ao poder, vamos assumir o compromisso público e formal da não reeleição. Se for escolhido pelo eleitor sergipano, vou cumprir apenas um mandato como Senador.

Se eles usam e abusam dos privilégios garantidos para senadores, como aposentadoria especial, plano de saúde infinito e perpétuo, um volume enorme de verbas de gabinete e dezenas de assessores, vamos firmar de imediato o compromisso de renúncia aos privilégios e de redução de no mínimo 50% no número de assessores e no custo geral do gabinete. Essas ações representam uma economia para os cofres públicos de mais de 10 milhões de reais ao longo do mandato.

Se eles utilizam o acesso ao orçamento da União, através das emendas, para negociação política e eventualmente para a corrupção, vamos garantir que seja o cidadão quem vai decidir quais são os projetos e localidades que serão contempladas. Decisão direta, através de um aplicativo na internet, onde o cidadão que é o dono verdadeiro do dinheiro vai escolher o seu destino e fiscaliza a aplicação.

Se hoje é impossível saber com clareza o que fazem os senadores, quantas horas e dias trabalham e quais são os seus objetivos reais, vamos apresentar no início do ano o plano de atividade do mandato, indicando com transparência o que se pretende fazer, com prestação de contas diária e agenda pública, sempre que possível transmitida ao vivo pela internet.

Se a política tradicional se estrutura com a contratação de cabos eleitorais e lideranças, além da sempre falada compra de votos, vamos concentrar nossa ação no trabalho de voluntários, pessoas comuns que também acreditam na mudança.

Fazendo tudo diferente desde o início, vamos garantir as condições para fazer a diferença de verdade na vida das pessoas.

Chega daquela política velha e cínica, capaz de qualquer acordo ou negócio para vencer uma eleição.

Eu acredito nesta renovação e cada vez mais gente acredita comigo. Vamos juntos fazer a faxina que o Brasil e Sergipe tanto precisam.

O delegado Alessandro Vieira dialoga com a população de Carira

Alessandro Vieira conversando com os cidadãos de Carira/SE

Na noite de 15.06, o delegado Alessandro Vieira, pré-candidato ao senado pela REDE, participou de uma roda de conversa com a população do município de Carira.

O evento atraiu muitas pessoas ansiosas por ouvir as propostas do delegado Alessandro Vieira como também sua trajetória de vida. Entre as pessoas presentes muitas lideranças comunitárias como o candidato a vice-prefeito na última eleição municipal, Junior e o candidato a vereador Givanilson.

O delegado Alessandro Vieira conduziu o dialogo de forma que a população pudesse explicitar suas opiniões em relação a política como também discorre sobre os problemas que afeta a vida de cada um. O tom principal da conversa apresentada na fala dos presentes foi a péssima qualidade dos políticos atuais e a necessidade de uma renovação.

Roda de Conversa lotada em Carira para ouvir o delegado Alessandro Vieira

Segundo a jovem Ingrid Rhayane, ” a visita do delegado Alessandro Vieira teve um resultado positivo, pois interagiu com a população mostrando que o poder está nas nossas mãos, que podemos banir a política tradicional e juntos podemos renovar a política sergipana com pessoas que realmente tenham compromisso com os cidadãos e trouxe um sentimento de esperança em futuro melhor para nós e nossas futuras gerações”.

A roda de conversa em Carira foi o último compromisso do dia que teve início pela manhã em Aquidabã seguindo para Porto da Folha e passando em Nossa Senhora da Glória até chegamos à noite em Carira. Cada dia a esperança de renovação se consolida no coração dos sergipanos.

Delegado Alessandro Vieira diz que é preciso criar mecanismos para que a população seja a protagonista

O delegado Alessandro Vieira em entrevista no município de Aquidabã.

Nessa sexta-feira, 15.06, o delegado Alessandro Vieira, pré-candidato ao senado pela REDE, concedeu entrevista na Aquidabã FM na cidade de Aquidabã, onde enfatizou sobre sua pré-candidatura e apresentou suas propostas e posicionamentos.

Questionado o porquê de ingressar na politica, o delegado Alessandro Vieira falou que a atual classe política mostrou incapacidade de representar a sociedade, daí surge a necessidade de uma renovação política e por isso colocou o seu nome a disposição para a pré-candidatura ao senado.

Sobre a segurança pública, o delegado Alessandro Vieira disse que o caos na segurança pública é devido a incompetência dos governantes que nunca fizeram um plano de segurança efetivo. Ele diz: “infelizmente o que observamos em Sergipe é a falta de interesse dos governos na questão da segurança, pois a preocupação dos políticos é somente as próximas eleições e a sua manutenção no poder”.

A proposta do pré-candidato é um plano nacional de segurança integrado, onde as forças armadas protejam as fronteiras impedindo a entrada de armas e drogas, efetivação de concursos públicos de forma periódica, valorização da guarda municipal e inserir a população através dos conselhos comunitários na tomada de decisão das politicas públicas. Segundo o delegado Alessandro Vieira é necessário também mudança na legislação, pois inadmissível que a polícia prenda e depois o marginal esteja solto, na maioria das vezes em 24 hs, e retorna as ruas para cometer crimes novamente.

O delegado Alessandro Vieira ressaltou que é necessário criar mecanismos na legislação que responsabilizem os gestores pelo mau uso do dinheiro, pois segundo Alessandro Vieira não é admissível um prefeito ou governador recebe uma gestão com saldo positivo e ao deixar mandato repassar uma dívida enorme para o sucessor. Para ele é necessário seriedade na gestão publica. É inadmissível tornar a prefeitura ou governo como fosse parte do seu patrimônio. Para mudarmos esse cenário, o cidadão precisa assumir a responsabilidade e escolher melhores seus candidatos. Não é possível escolher pessoas que demostraram que não tem competência ou que possui problemas na justiça. Precisamos eliminar os vícios do loteamento dos cargos públicos com cargos comissionados que não trabalham, e muitas vezes, os órgãos públicos tornam-se ramificações familiares. Essa prática precisa acabar, pois drena o dinheiro para a corrupção, onde deveria ser investido na educação, na saúde e na segurança pública.

Ressalta que ao estados vizinhos como Bahia e Alagoas melhorou muito enquanto Sergipe piorou em todos os indicadores chaves e isso é resultado da péssima gestão exercida pelos nossos governantes e atual gestão de JB/Belivaldo é um uma demonstração clara dessa situação. É inadmissível que o governo passe 4 anos pagando os salários dos servidores públicos atrasado e nem conceda reajuste salarial.

Para o delegado Alessandro Vieira, o papel do cidadão é fundamental para melhorar a democracia e exemplo disso foi a criação da Lei da Ficha limpa, pois se fosse depende dos políticos essa lei não seria criada. Precisamos criar mecanismos para que a população seja protagonista e propõe a criação e aperfeiçoamento de ferramentas para participação cidadã.