Delegado Alessandro Vieira reforça compromisso com a mudança em favor dos sergipanos

Alessandro Vieira, pré-candidato ao Senado
O pré-candidato ao Senado por Sergipe pelo Rede Sustentabilidade, delegado Alessandro Vieira, participou de entrevista na Rádio Comércio de Aracaju, na manhã de quarta-feira (08). Durante 15 minutos, o pré-candidato respondeu perguntas do radialista Mário Prata sobre combate a corrupção, saúde, educação, segurança pública, reformas trabalhista e da previdência.
Para o delegado, a renovação na política brasileira e sergipana é uma necessidade urgente. “Sem renovar os quadros políticos, nós não vamos conseguir mudar a nossa realidade. Foi essa necessidade por transformação que me motivou a ingressar na política. Hoje, os representantes de Sergipe no Senado e os pré-candidatos disponíveis estão muito abaixo do que o sergipano precisa e merece. Para mudar, precisamos de gente séria com coragem e capacidade para realizar as reformas que o Brasil necessita. Por isso me apresento como pré-candidato ao Senado por Sergipe”.
Segurança Pública
Delegado de carreira há 17 anos, o pré-candidato ao Senado conhece bem a realidade da segurança pública. Para Alessandro Vieira, o maior problema da segurança em Sergipe é a falta de compromisso político dos gestores maiores em efetivar políticas na área.
“É só observar o trabalho feito pelos nossos deputados federais e senadores que veremos que nenhum deles apresentou nem defendeu publicamente um projeto que realmente impactasse na segurança pública. Aumento de pena, redução no número de recursos, garantia da execução da pena provisória após condenação em 1ª ou 2ª instâncias, enfim, medidas que realmente tenham um impacto positivo na vida das pessoas e que beneficiem e protejam a sociedade. Nossos parlamentares nunca fizeram isso, e é esse espaço que eu pretendo ocupar”, assegura.
Combate à corrupção
Durante a entrevista, ganhou destaque a informação do relatório da Polícia Federal fazendo um levantamento dos últimos 4 anos de operação. Nesse período, a PF comprovou o desvio de 48 bilhões de reais. Isso representa um desvio diário de 33 milhões de reais.
“São 33 milhões de reais roubados dos cofres públicos por dia. Roubalheira feita por essa classe política que aí está há décadas. Eles querem permanecer no poder para deixar tudo como está, abafar as investigações e operações como a Lava Jato, e garantir a permanência deles, de seus parentes e apadrinhados no poder. Não existe nenhuma esperança de mudança da nossa realidade com essa turma. Eles já mostraram quem são”, afirma.
De acordo com o pré-candidato ao Senado, os sergipanos precisam virar essa página da história e abrir um novo momento de esperança de um Sergipe seguro, com educação eficiente e com um desenvolvimento econômico que permita reduzir o desemprego no estado. “Isso tudo é possível e eu pretendo fazer a minha parte, ajudando Sergipe através de um mandato bem exercido no Senado”, reforça.
Reforma da Previdência
Sobre a Previdência Social e a necessidade de reforma, o delegado Alessandro Vieira garantiu que se a população sergipana permitir que o quadro político permaneça o mesmo, os cidadãos vão sofrer com a perda do direito à aposentadoria integral. Para o pré-candidato ao Senado, a fusão dos fundos da Previdência do estado feita na Assembléia Legislativa de Sergipe por Jackson Barreto foi um crime.
“Em 2007, o então governador Marcelo Déda separou os fundos e criou o Funprev/SE, um fundo saudável para que os que estivessem ingressando no serviço público não tivessem problema para se aposentar. O que Jackson fez em 2017, com interesse absolutamente eleitoreiro, foi aprovar na Assembléia Legislativa que o governo pudesse dispor desses recursos. Em 2, 3 meses ele zerou os recursos que haviam sido acumulados por quase uma década. Sergipe precisa saber que o estado tinha uma esperança concreta de ter uma previdência organizada, e que Jackson Barreto, juntamente com sua bancada, destruiu essa esperança. A nossa difícil realidade de hoje precisa mudar, e para que isso ocorra, precisamos mudar as pessoas eleitas e virar essa página da história de Sergipe.

Alessandro Vieira prega renovação na politica sergipana

Alessandro Vieira, pré-candidato ao Senado pela REDE

 

“Temos a nossa batalha de enfrentamento do sistema, da corrupção. São voluntários que se somam. A cada dia chega mais gente para a campanha, uma campanha que será feita com os pés no chão, sem dinheiro de fundo partidário, sem dinheiro de corrupção, mas contando com a verdade ao nosso lado e quem tem a verdade ao lado tem chances de vitória”, disse o delegado Alessandro Vieira

Confira a matéria completa acessando o link abaixo:

Alessandro Vieira prega renovação

“Nós precisamos reduzir cada vez mais a influência política na gestão”, diz Alessandro Vieira

Delegado Alessandro Vieira nos estúdios da MIX FM

Na última segunda-feira, 30/07, o pré-candidato da REDE, o delegado Alessandro Vieira, concedeu entrevista aos jornalistas Thiago Helcias e Valeria Santana na MIX FM ressaltando a homologação de sua candidatura ao senado como também respondendo os questionamentos dos ouvintes expondo suas propostas e posicionamentos.

Segundo o delegado Alessandro Vieira, a motivação de adentrar na política e colocar seu nome a disposição começou no momento que o seu trabalho à frente da polícia civil foi interrompido por uma decisão política do ex-governador Jackson Barreto e constatou, segundo ele, que “ou mudarmos os políticos ou nossa vida vai continuar nessa mesma toada de decadência e de insegurança ou a gente vai enfrentar e eu decide enfrentar”.

“Sim, nós precisamos reduzir cada vez mais a influência política na gestão, você não pode ter mais situações como nós temos na saúde pública de Sergipe, por exemplo, a secretaria de saúde de Sergipe serve para eleger deputados,  ela não serve para atender o cidadão, ela não serve para curar doenças e se você for ver na história de Sergipe, você vai ver 4 ou 5 deputados federais, sempre os mais votados, eleitos com base no trabalho feito na secretaria de saúde e os hospitais cada vez em pior situação e a situação dos servidores da saúde cada vez pior”, afirmou o pré-candidato sobre a gestão da saúde de Sergipe.

Questionado sobre a atuação dos atuais senadores, o delegado fez críticas argumentando que os trabalhos realizados pelos senadores sergipanos foram irrelevantes com nenhum projeto que impactasse a vida dos sergipanos, nenhum projeto para segurança pública e nem nenhum projeto no tocante ao combate à corrupção e, segundo Alessandro Vieira, “os nossos senadores somente se limitaram a fazer despachos de emendas quando o orçamento assim o permiti”.

Para o pré-candidato Alessandro Vieira, a situação da segurança pública em Sergipe não se justifica e a razão dos péssimos indicadores na segurança, segundo ele, é falta de vontade política e a falta de competência dos governantes.

O delegado Alessandro Vieira defendeu a diminuição dos privilégios dos políticos e enfatizou na entrevista que a política deve ser um serviço a coletividade e não uma profissão. “É desnecessário o tamanho do gasto que é feito com verbas de gabinetes, assessoria e isso é absolutamente desnecessário”, indagou o delegado Alessandro Vieira.

A Força dos Cidadãos fará Frente as Forças da Velha Política

Delegado Alessandro Vieira junto com Dr. Emerson e o vereador Américo de Deus

Nesse domingo, 29.07, ocorreu a Convenção Eleitoral da Rede Sustentabilidade que homologou as candidaturas de Emerson Ferreira ao Governo e do delegado Alessandro Vieira ao Senado e demais candidaturas proporcionais.

O delegado Alessandro Vieira em seu discurso destacou a força dos cidadãos em frente ao que ele destaca como a velha política e menciona que será o poder dos cidadãos que fará a diferença nesse pleito eleitoral em detrimento das práticas e forças tradicionais da política.

Em suas palavras, o delegado Alessandro Vieira afirma que o pleito será difícil, mas que a REDE está pronta para o embate.

Leia a integra de todo o seu discurso:

“Eu começo agradecendo muitíssimo pela presença de todos vocês.

É um domingo de sol em Aracaju, não é fácil dedicar tempo para a política, para conversar sobre assuntos sérios e vocês estão aqui sem nenhum CC, sem nenhuma vantagem, sem nenhum transporte.

Agradeço demais a presença de todos vocês aqui.

Essa caminhada pela política partidária, que é nova para mim, se inicia aqui na REDE e vem mostrando sucessivos desafios e sucessivas oportunidades de crescimento. Talvez esse momento aqui sinalize a concretização da decisão do partido para uma candidatura ao senado. Sinaliza uma inovação em termos de propostas, candidatos todos eles ficha limpa, todos eles comprometidos com a mudança. Mas precisamos fazer uma reflexão, aproveitando o momento bastante oportuno que temos aqui.

É preciso cada vez mais que a gente se disponha a enfrentar e derrubar os muros e as paredes dos palácios que são construídos para reservar e concentrar o poder.

As pessoas comuns são mais importantes que as autoridades, essas pessoas são mais importantes do que os partidos também. São as pessoas comuns, cada um de vocês que paga suas contas, que trabalha, que se esforça e que quer o melhor para seus filhos. É o cidadão comum que pode fazer a diferença no Brasil.

Nós precisamos, digo com a mais absoluta certeza, enfrentar esta batalha tão difícil juntos. Lado a lado com as pessoas comuns, com gente de verdade.

Vocês viram a lista de candidatos que a REDE apresenta. São pessoas de verdade. Não tem candidato pré-fabricado, não tem produto de marketing. Não tem filho, não tem neto, não tem parente de político importante.

Política aqui na REDE é sem dúvida nenhuma uma ferramenta para mudança da sociedade. Nós precisamos fazer esta reflexão e abraçar isso.

Eu fico completamente contemplado quando a REDE faz esse primeiro movimento de quebrar barreiras e derrubar muros do poder, abrindo as portas dos espaços políticos para movimentos como o Frente Favela Brasil e o Acredito, trazendo inovação e renovação. E Marina Silva representa exatamente isso, quando com muita clareza ela abraça os movimentos de renovação.

Eu também fico muito feliz quando através da REDE a Bahia consegue ter a primeira candidata negra ao governo do estado, porque quando a mulher negra se levanta toda a sociedade se movimenta. E esse lugar de fala é delas. Eu faço essa referência respeitosa porque me sinto contemplado com a presença de uma mulher negra no controle do partido REDE e se Deus quiser no controle na nação. Essa inovação social se dá passo a passo. É um esforço muito grande, uma batalha muito difícil.

Quem já me conhece aqui em Sergipe mais de perto sabe que não sou de dourar pílula, não sou de sorriso fácil e não sou o cara que vai dar tapinhas nas costas de todo mundo. Eu não posso garantir para ninguém que nossa caminhada será facilitada, eu não posso garantir para ninguém que vai ser fácil mudar um sistema tão difícil e tão enraizado como este que nos aprisiona. Mas eu posso garantir que nós vamos fazer essa caminhada juntos, com toda a força, com toda a seriedade e com toda a integridade que se pode ter.

Porque essas pessoas que estão aqui sabem e têm totais condições para fazer a diferença.

Nós vamos enfrentar gigantes. Nós vamos enfrentar um sistema que está enraizado no Brasil desde o descobrimento e que se alicerça na corrupção, que se alicerça na exploração do mais fraco, que se alicerça na apropriação dos espaços políticos para fazer dinheiro e para concentrar poder. Em Sergipe nós temos as mesmas famílias tomando conta do Estado, dos nossos destinos, desde o regime militar. Três ou quatro homens, todos hoje com mais de 75 anos, comandando Sergipe e levando Sergipe para onde ele está, um buraco que parece não ter fundo.

O pior Estado na segurança pública, na saúde e na educação e isso não se justifica porque o povo sergipano não merece isso. Essas pessoas não nos representam e precisamos nós mesmos ocupar esse espaço.

Estou fazendo minha parte colocando a minha pré-candidatura ao senado, abraçando a pré-candidatura de Dr. Emerson ao Governo, de Marina à Presidência da República. Abraçando cada um de nossos candidatos proporcionais. Cada um de vocês vai ter a companhia, o apoio e o esforço, lado a lado, para que possamos fazer a diferença nos bairros, nas comunidades, no interior e na capital. Porque é conversando gente com gente que vamos mudar o Brasil. Não vai ser pela força do marketing, não vai ser pela força do dinheiro.

É fácil? Não, não é. Mas é urgente, é necessário e é inadiável. E nós temos a chance de fazer a diferença.

Para quem gosta de histórias bíblicas, tem uma bonita que fala da luta entre Davi e Golias. Todo mundo conhece. O pequeno Davi, que era um pastor, enfrenta um gigante guerreiro que vem oprimir seu povo. Um passo atrás nessa história é que nos traz uma questão essencial para entender esse momento que vivemos aqui:

Por que Davi enfrentou aquela batalha? O que fez com que o pastor saísse de sua atividade rotineira e fosse enfrentar aquela batalha contra um guerreiro famoso?

Golias tinha as melhores armas, era maior, era mais forte, mas Davi teve a compreensão de que era necessário fazer o enfrentamento naquele momento.

E ele usou a melhor arma de todas que é a fé inabalável em Deus e na verdade e venceu a batalha.

Aprendemos que com fé e verdade é possível sim fazer a diferença.

Nós temos as ferramentas necessárias para fazer a diferença em Sergipe que são as pessoas, são vocês.

Ter a minha foto neste painel gigante atrás de mim não me faz diferente ou melhor do que vocês. Eu sou apenas mais um de vocês que enfrenta a batalha em uma outra posição, em uma linha de frente.

E eu não vou conseguir fazer nada sozinho, então eu convido todos vocês, eu convoco todos vocês para abraçar esse momento.

Esta é a hora do Brasil mostrar o que quer ser. Esta é a hora de Sergipe mostrar que Estado pretende ser. Esta é a hora de cada um de nós mostrar o que deseja para sua família.

Meus filhos estão aqui, minha esposa, minha mãe e o que eu quero para eles, o que eu quero para todos nós, é um Brasil e um Sergipe mais justo, mais inclusivo, onde se respeite a lei, mas que essa lei valha para todos.

Chega do tempo em que a força da lei só vale para os pobres. Nós precisamos fazer um aberto enfrentamento dos privilégios e da corrupção no Brasil. É a raiz do nosso mal. É o que sustenta esse bando de incompetentes montados no poder por décadas, desperdiçando ou roubando nosso dinheiro e se apropriando do nosso futuro.

Podemos fazer isso, vamos fazer isso juntos e eu acredito muito na nossa vitória.

Vamos em frente!”

Delegado Alessandro Vieira apresenta propostas para a Segurança Pública e para a Saúde no sertão sergipano

Delegado Alessandro Vieira em entrevista ao apresentador Maycon Fernandes

Na noite do dia 26.07, o delegado Alessandro Vieira, pré-candidato ao Senado pela REDE e integrante do RenovaBR, concedeu entrevista ao programa Sua Expressão apresentado por Maycon Fernandes no município de Nossa Senhora da Glória apresentando suas propostas para segurança pública, educação e saúde como também se posicionou sobre o cenário político.

Logo no início da entrevista, o delegado Alessandro Vieira relatou a necessidade de uma renovação política dado que “os nomes postos não estão a altura do desafio que Sergipe precisa para voltar aos trilhos e por isso coloco meu nome a disposição dos sergipanos como pré-candidato ao Senado”.

O delegado Alessandro Vieira ressaltou a importância dos movimentos de renovação que surgiram no Brasil como o RenovaBR, o movimento Acredito, o Brasil200 e outros para impulsionar o surgimento de novas lideranças.

Questionado sobre sua exoneração do cargo de delegado geral da Polícia Civil, o pré-candidato afirmou que o trabalho desenvolvido incomodou muito pessoas que estavam no poder, inclusive o ex-governador Jackson Barreto, mas que poderia responder pela sua exoneração era o próprio ex-governador. Segundo Alessandro Vieira, “o trabalho feito a frente da Policia Civil mostrou aos sergipanos que dá para fazer diferente e é possível enfrentar o sistema e isso incomodou demais os políticos que acreditavam que a lei não os alcançava”.

Sobre a proposta sobre porte de arma, o delegado Alessandro Vieira alfinetou pré-candidatos que prometeram criar a lei, pois segundo ele a lei já existe que permitir o brasileiro a possuir porte de arma, contudo, para Vieira, é preciso facilitar o procedimento burocrático, baratear o seu custo e dar agilidade a esse processo  para que o cidadão tenha o direito a portar uma arma.

Para o pré-candidato da REDE o que falta para Sergipe ter segurança pública é vontade politica e competência dos gestores. Alessandro Vieira exemplificou sua constatação dizendo que hoje temos menos policial nas ruas do que na década de 90 e afirmou que enquanto o quantitativo policial diminuiu o número de criminosos aumentou e mesmo com todo o esforço das polícias, o governo não dá o respaldo necessário para que as polícias faça seu trabalho.

Questionado ainda na área da segurança pública sobre a diminuição da maioridade penal, o delegado defendeu que a diminuição da maioridade penal não resolve o problema e para ele cria um problema maior, pois fornece mais soldados para facções criminosos de dominam os presídios. Segundo o delegado Alessandro Vieira, a proposta mais viável é o aumento da pena para menores infratores que cometeram crimes graves e a separação desses mesmos menores infratores dos demais e a realização de um trabalho efetivo de ressocialização.

“Defendo que o condenado em 1ª instância cumpra sua pena imediatamente, pois depois que a justiça se manifesta não persisti a presunção de inocência”, afirma o delegado Alessandro Vieira. Ainda ressalta que é necessário mudança nas legislações para que os processos judiciais sejam mais rápidos e as condenações sejam mais duras e desta forma, para ele, a sensação de impunidade diminuirá e desestimular as pessoas a cometer crimes.

Já na área da saúde, o delegado Alessandro Vieira defendeu uma revisão do pacto federativo para que os recursos sejam assegurados para a saúde de atenção básica e uma definição se a União assume a administração da atenção básica ou os municípios continuam no controle, contudo com um maior orçamento. Outro ponto apresentado pelo delegado é que não haja a partidarização na gestão da saúde porque segundo ele “a gestão partidarizada é feita objetivando ganhar voto  e não atender o cidadão gerando um ciclo de ineficiência, onde quem paga é o cidadão”. E Vieira exemplificou sua fala relatando o caso do Centro Administrativo da Saúde que ficou conhecido como o Taj Mahal que segundo o pré-candidato vai gerar um prejuízo de milhões de reais que poderiam ser investidos na compra de medicamentos e equipamentos.

 

 

 

 

 

Alessandro Vieira, “mais do que nunca minha pré-candidatura é para o Senado”

Delegado Alessandro Vieira em entrevista a rádio Jovem Pan

“Mais do que nunca minha pré-candidatura é para o Senado como sempre foi”, foi desta forma que o delegado Alessandro Vieira (REDE) começou sua entrevista aos jornalistas Paulo Souza e Rosalvo Nogueira na emissora Jovem Pan na manhã do dia 18.07. Ainda ressaltou que “minha pré-candidatura é uma opção efetiva de renovação com novas práticas de fazer política e posições coerentes com os princípios que eu defendo”.

Sobre o aluguel do prédio do Mistão que hoje abriga o Centro Administrativo da Saúde e que está com ordem judicial de despejo, o delegado Alessandro Vieira relembrou que o Movimento Atitude Sergipe (MOVA-SE), ao qual faz parte, ingressou com ações na justiça para impedir a contratação desse aluguel por constatar a inviabilidade desse contrato. Ainda fez críticas ao governo do Estado afirmando que “quem vai pagar esse prejuízo é o cidadão sergipano por mais um ato de irresponsabilidade e incompetência da gestão”.

Segundo Alessandro Vieira é no Senado que Sergipe mais precisa de uma renovação porque ou são pessoas que passaram por muito tempo no cargo e produziram muito pouco ou são pré-candidatos que apresentam uma folha corrida e não currículo e essas pessoas não representam o sergipano.

Sobre a conversa com os Valadares, o delegado Alessandro Vieira falou que tem todo respeito pelo PSB, mas seu posicionamento foi a clareza de que não caminharia num projeto que não fosse de renovação verdadeira. “Eu não vou dar qualquer tipo de apoio àquilo que não seja absolutamente e efetivamente vinculado a renovação em Sergipe”, ressaltou o pré-candidato.

O pré-candidato da REDE ao senado criticou a forma como os atuais parlamentares sergipanos liberam as emendas parlamentares afirmando que eles distribuem o dinheiro como querem buscando acordos de conveniência eleitoral ao invés de aplicar onde realmente necessita. A proposta apresentada pelo Alessandro Vieira é que através de aplicativos de celular, os cidadãos escolham em quais áreas as emendas federais devem ser aplicadas diminuindo o poder dos políticos e dando poder ao verdadeiro donos do dinheiro público que são os cidadãos sergipanos.

Questionado por um ouvinte, qual a proposta para o sistema socioeducativo para menores infratores, o delegado Alessandro Vieira disse defender uma revisão no ECA, onde haja um endurecimento no tratamento do adolescente infrator que comete crimes graves ou reincidentes e haja uma separação e tratamento diferenciado entre os menores infratores com menor periculosidade dos menores infratores com maior periculosidade. “Sou contrário à mera diminuição da maioridade penal porque essa medida somente vai fortalecer as facções do PCC e Comando Vermelho fornecendo mais membros para suas quadrilhas”, ressaltou Vieira.

Ele também reforçou que não pretende utilizar recursos do fundo eleitoral e que vai fazer a campanha com doações de apoiadores, através do site http://www.votolegal.com.br/em/delegadoalessandrovieira

 

 

Delegado Alessandro Vieira, “não cabe fazer discurso de novo e continuar com os velhos da política”

Delegado Alessandro Vieira, membro do RenovaBR e Movimento Acredito

O delegado Alessandro Vieira em entrevista ao Jornal da FAN disse que “não cabe fazer discurso de novo e continuar com os velhos da política”. Todo o contexto baseado no seu posicionamento sobre a aliança PSB/REDE.

Veja a repercussão e todo o posicionamento do delegado Alessandro Vieira nos links abaixo:

Coligação da Rede faz Alessandro pedir candidatura independente

Delegado Alessandro Vieira diz que lançará candidatura independente ao Senado, após aliança entre REDE e PSB

Alessandro Vieira: cada um tem que arcar com a sua responsabilidade

Delegado Alessandro Vieira lamenta postura da Rede e anuncia que lançará candidatura independente

Alessandro Vieira não aceita aliança com o PSB e anuncia “candidatura cívica independente”

Alessandro Vieira: não cabe fazer discurso do novo e continuar com os velhos

Alessandro Vieira não abre mão da disputa pelo Senado

Delegado Alessandro Vieira anuncia que lançará candidatura independente ao Senado

Dinossauro é Renovação? Se Ligue!

O delegado Alessandro Vieira escreve esse pequeno artigo com o intuito de alertar os cidadãos para os políticos velhos que vêm com discursos fabricados como “novo”.

Cuidado, este ano os perigosos dinossauros não estarão apenas nos cinemas. Eles também estarão nas propagandas eleitorais e nas urnas. Vão tentar esconder com toneladas de marketing as garras afiadas e o apetite insaciável por dinheiro e poder.

Vamos assistir dinossauros de diversos tamanhos e idades envergando fantasias especialmente desenhadas para iludir o eleitorado. Teremos figuras viciadas em cargos comissionados falando sobre gestão moderna e meritocracia e personagens notórios das páginas policiais alardeando a defesa da Segurança Pública e do combate à corrupção.

São apenas peças de ficção construídas com muito dinheiro arrancado do nosso bolso através dos fundos eleitoral e partidário e muitas vezes através da corrupção.

Nestas eleições, deixe a ficção de lado e escolha gente de verdade. Procure informação e encontre gente nova, honesta e comprometida com as ideias que você defende.

Tem muita gente boa que está disposta a encarar o sistema e lutar para mudar a nossa vida para melhor. O Brasil tem jeito, só depende de nós.

“Não há mais lugar para políticos que trabalham na linha do rouba, mas faz”, afirma o delegado Alessandro Vieira

O delegado Alessandro Vieira concede entrevista ao portal Universo Político

“Precisamos devolver o máximo de poder de decisão ao cidadão comum, que é quem financia toda a máquina pública e diminuir o poder de decisão dos políticos”, ressalta o delegado Alessandro Vieira na entrevista ao portal Universo Político do jornalista Joedson Telles.

Leia a entrevista completa no link abaixo:

“Não há mais lugar para políticos que trabalham na linha do rouba, mas faz”

“Aceitei o desafio de enfrentar o sistema e não estou só”, escreve o delegado Alessandro Vieira

 

Delegado Alessandro Vieira

Meu artigo foi publicado na íntegra pelo jornalista Claudio Nunes em sua coluna na Infonet, confira no link abaixo:

“Eu acredito nesta renovação e cada vez mais gente acredita comigo. Vamos juntos fazer a faxina que o Brasil e Sergipe tanto precisam.” Delegado Alessandro Vieira

No Brasil, e em Sergipe mais ainda, vivemos um imenso distanciamento entre nós, cidadãos comuns, e a elite política que nos governa há décadas. Não sabemos com clareza o que eles fazem com a montanha de dinheiro que arrancam dos nossos bolsos através da cobrança de impostos e também não sabemos as razões para tanta ineficiência e corrupção. Os nossos problemas ficam cada vez mais graves e as pessoas que concentram o poder capaz de resolver não fazem nada ou fazem muito pouco.

Ficamos vendo inertes as mesmas pessoas, por décadas a fio, fazendo exatamente as mesmas coisas e acumulando riqueza e poder. Assistimos a política que deve servir o cidadão ser transformada em negócio lucrativo a serviço de famílias tradicionais ou grupos econômicos, enraizados desde o período militar.

Até alguns meses atrás, eu também fazia parte da grande massa que sofre e fica indignada, mas não sabe como colaborar para uma mudança real e de grande impacto. Através do meu trabalho como policial e do meu exemplo, me esforçava para fazer ao máximo as coisas corretas, mas a velha política sempre se colocava como obstáculo intransponível para as novas idéias e a inovação.

Fiz da indignação coragem e rompi a barreira da inércia.

Como primeiro passo, fui buscar capacitação para efetivamente impulsionar a mudança. Encontrei o RenovaBR, programa que me acolheu após um rigoroso processo seletivo nacional. Tive acesso a grandes especialistas do Brasil e do exterior, falando sobre alguns dos temas mais importantes das nossas vidas, e encontrei mais de uma centena de pessoas muito especiais, vindas de todos os cantos do país com histórias de vida inspiradoras e muita coragem para enfrentar o sistema.

De logo ficou claro que, em uma democracia, a transformação desejada deve ocorrer sempre no campo da política e, portanto, é preciso participar do processo eleitoral e se mostrar como alternativa real ao sistema envelhecido que trava o Brasil e empurra Sergipe cada vez mais no fundo do poço.

Tomei coragem e fiz isto. Procurei um partido que me garantisse o requisito mais básico na minha concepção: a certeza de que nunca caminharia ao lado dos tantos corruptos e oportunistas que infestam a política tradicional. Encontrei a Rede, um partido jovem e comprometido com a construção de uma política muito diferente da tradicional, e na Rede parceria forte para essa missão urgente, a renovação da política sergipana.
Também encontrei o Movimento Acredito, outra iniciativa nacional que me abraçou como membro e reforçou ainda mais a energia e o leque de competências indispensáveis para fazer a diferença.

Com essa base, fiz o lançamento da pré-candidatura ao Senado, representando uma iniciativa de verdadeira renovação política, baseada na transparência, no combate irrestrito à corrupção e na devolução do poder e dos recursos aos seus verdadeiros donos, os cidadãos comuns.

O desafio é imenso. A reação natural dos velhos políticos é de menosprezo.

Como uma pessoa comum, sem dinheiro ou padrinhos, vai conseguir enfrentar adversários que vão contar com uma máquina fisiológica recheada de CC’s, que vão utilizar milhões de reais tirados dos cofres públicos através de leis absurdas com a que criou o bilionário fundo eleitoral e também, eventualmente, outros tantos milhões de reais oriundos da corrupção e do caixa 2?

Como enfrentar a diferença brutal no tempo de propaganda eleitoral destinado para candidatos tradicionais e candidatos da renovação?

A resposta é simples, embora não seja fácil.

A primeira coisa é entender que não é possível fazer nada sozinho, a luta precisa ser coletiva. Unir as pessoas que querem mudar de verdade é o primeiro passo, para juntos enfrentarmos esse sistema monstruoso fazendo tudo diferente.

Se eles arrancam do bolso do cidadão dinheiro para fundos partidário e eleitoral, nós não vamos usar este recurso. Não vamos usar nenhum centavo de dinheiro público na nossa caminhada.

Se o objetivo deles é permanecer agarrados eternamente ao poder, vamos assumir o compromisso público e formal da não reeleição. Se for escolhido pelo eleitor sergipano, vou cumprir apenas um mandato como Senador.

Se eles usam e abusam dos privilégios garantidos para senadores, como aposentadoria especial, plano de saúde infinito e perpétuo, um volume enorme de verbas de gabinete e dezenas de assessores, vamos firmar de imediato o compromisso de renúncia aos privilégios e de redução de no mínimo 50% no número de assessores e no custo geral do gabinete. Essas ações representam uma economia para os cofres públicos de mais de 10 milhões de reais ao longo do mandato.

Se eles utilizam o acesso ao orçamento da União, através das emendas, para negociação política e eventualmente para a corrupção, vamos garantir que seja o cidadão quem vai decidir quais são os projetos e localidades que serão contempladas. Decisão direta, através de um aplicativo na internet, onde o cidadão que é o dono verdadeiro do dinheiro vai escolher o seu destino e fiscaliza a aplicação.

Se hoje é impossível saber com clareza o que fazem os senadores, quantas horas e dias trabalham e quais são os seus objetivos reais, vamos apresentar no início do ano o plano de atividade do mandato, indicando com transparência o que se pretende fazer, com prestação de contas diária e agenda pública, sempre que possível transmitida ao vivo pela internet.

Se a política tradicional se estrutura com a contratação de cabos eleitorais e lideranças, além da sempre falada compra de votos, vamos concentrar nossa ação no trabalho de voluntários, pessoas comuns que também acreditam na mudança.

Fazendo tudo diferente desde o início, vamos garantir as condições para fazer a diferença de verdade na vida das pessoas.

Chega daquela política velha e cínica, capaz de qualquer acordo ou negócio para vencer uma eleição.

Eu acredito nesta renovação e cada vez mais gente acredita comigo. Vamos juntos fazer a faxina que o Brasil e Sergipe tanto precisam.